quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

GEORGE HARRISON - THE LIGHT THAT HAS LIGHTED THE WORLD

 

Caros amigos: Hoje eu (Andy) e vocês, finalmente, depois de um mês péssimo, cheio de tristeza e recordações, nosso blog preferido vai fazer uma celebração à vida e à obra do nosso querido George Harrison, apesar dele ter dito que teria descoberto que na verdade nascera no dia 24/02. Ok. O “dia oficial” do seu aniversário é hoje, 25/02. Ele estaria completando 67 anos. Parabéns Rare Rare! Você é, sempre foi e sempre será absolutamente demais! E tenho você guardado, dentro do meu coração. Amém! Hare Krishna! Antes de começar, gostaria de recomendar a todos para parar a rádio. Simplesmente apertando ESC, para poderem apreciar cada um dos vídeos, que foram postados aqui, com todo todo o carinho. Carinho e amor, que, embora tudo tenha que passar, certas coisas não passam! Abração!
George Harold Harrison nasceu em 25 de fevereiro de 1943 em Liverpool, Inglaterra. Harold, o pai, era motorista de ônibus e membro ativo do sindicato de sua categoria e Louise, a mãe, era dona de casa. Sua família tinha origem irlandesa já que seus avós maternos vieram de Wexford. Durante a infância, viveu em uma casa localizada na 12 Arnold Grove, no bairro de Wavertree, Liverpool. Em 1950 a família se mudou para 25 Upton Green, em Speke. George tinha ainda dois irmãos e uma irmã (Peter, Harry e Louise).

Aos 11 anos, após passar em um exame, George começou a freqüentar o Liverpool Institute for Boys (atual, Liverpool Institute for Performing Arts), onde conheceu Paul McCartney. Harrison e McCartney não só estudavam na mesma escola como também moravam no mesmo bairro, Speke, e freqüentemente pegavam o mesmo ônibus para ir e voltar da escola.

George comprou sua primeira guitarra aos 12 anos, por 3 libras e 10 shillings. Pouco depois comprou sua primeira guitarra decente e formou um grupo de skiffle chamado The Rebels com seu irmão Peter e um amigo, Arthur Kelly. Quando Paul McCartney descobriu que George tocava guitarra, convidou-o para ver a banda da qual ele fazia parte. Em 1958, Paul apresentou George a John Lennon que acabou o aceitando na banda Quarrymen, embrião de The Beatles.

No começo dos Beatles, era visto pelos outros apenas como um garoto por ser o caçula entre eles.

Ele foi o primeiro dos Beatles a ir aos Estados Unidos, quando visitou sua irmã Louise em Benton, Illinois, em setembro de 1963. Em 1964, ele voltaria aos Estados Unidos com os Beatles, época em que eles se apresentaram no programa de TV chamado Ed Sullivan Show estavam vivenciado o começo da loucura da beatlemania. Durante esta visita aos Estados Unidos, George Harrison ganhou uma guitarra modelo "360/12" da Companhia Rickenbacker; esta guitarra de 12 cordas fez parte de vários solos de George por volta de 1965 e 66.
Durante o auge da beatlemania, George ficou conhecido como o "beatle tímido" ("quiet Beatle"), devido a sua maneira introspectiva e tendência de falar pouco durante as entrevistas. Apesar da imagem de "beatle tranqüilo", a maioria dos amigos, como Eric Idle, membro do Monty Python, asseguram que na intimidade ele era muito falante, contradizendo a imagem que a imprensa tinha a seu respeito.

Harrison escreveu sua primeira canção realmente dos Beatles em 1963, “Don't Bother Me”, lançada no segundo álbum With The Beatles. Neste álbum, ele conseguiu mais sucesso com a “Roll Over Beethoven” de Chuck Berry, do que com sua própria composição. Embora tenha escrito uma canção para o álbum Beatles for Sale, ela não foi usada e George acabou interpretando outro cover, "Everybody's Trying to Be my Babe", de Carl Perkins. Ainda nesta fase, ele cantou como líder vocal composições de Lennon/McCartney como por exemplo Chains, Do You Want to Know a Secret (ambas do álbum Please Please Me) e I'm Happy Just to Dance with You (do álbum A Hard Day's Night).

Foi só a partir de 1965 que George Harrison começou a contribuir freqüentemente com composições para o grupo. No álbum Help!, ele lançou duas composições próprias: "I Need You" e "You Like Me Too Much".
Um importante marco em sua carreira aconteceu durante a tournê americana de 1965, quando David Crosby, do grupo The Byrds, introduziu George à cultura indiana através do trabalho do músico Ravi Shankar. George ficou fascinado pelo som indiano e se tornou um dos maiores responsáveis pela popularização da música indiana nos anos 60. Após comprar um sitar, ele introduziu pela primeira vez na música pop um instrumento indiano, na canção "Norwegian Wood" do álbum Rubber Soul. Após essa experiência, George escreveu algumas canções que utilizaram outros instrumentos indianos como a tabla e o sitar. Entre essas canções destacam-se "Love you too", do álbum Revolver, de 1966 e "Within you without you", do Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band, de 1967.

Outro marco importante na vida de George foi durante as filmagens de Help! em 1965, nas Bahamas. Na época, ele começou a se interessar pela religião hindu ao ler um livro sobre reencarnação. Em 1966, ele e sua mulher Pattie Boyde foram à Índia, onde ele conheceu vários gurus, locais sagrados e estudou o sitar. De volta a Inglaterra, George conheceu Maharishi Mahesh Yogi e começou a desenvolver a meditação transcendental. Influenciados por George Harrison, os Beatles foram à Índia fazer meditação espiritual em 1968. Em 1969, produziu o single "Hare Krishna Mantra", interpretado por devotos do templo londrino de Radha-Krishna. No mesmo ano, ele e John Lennon conheceram Bhaktivedanta Swami Prabhupada, fundador da Sociedade Internacional para a Consciência de Krishna (ISKCON). Pouco depois, Harrison abraçaria a tradição Hare Krishna, em particular o canto de mantra usado como meditação privada e chamado japa-yoga, tecnicamente similar ao rosário na tradição católica.

A partir do álbum Revolver, de 1966, George começou a compor cada vez mais e com mais qualidade, chegando a competir no mesmo nível com as composições de Lennon/McCartney. Revolver é o único disco dos Beatles que ele conseguiu lançar pela primeira vez três canções de sua autoria. Mas só em 1968 uma composição sua atingiria grande sucesso, a canção While my Guitar Gently Weeps, incluída no álbum duplo The Beatles (Álbum Branco). Curiosamente, o solo de guitarra de que fala a letra da música é executado pelo seu grande amigo Eric Clapton. No álbum de 1969, no disco Abbey Road, George lançou duas composições próprias: "Something" e "Here Comes the Sun" (provavelmente suas mais populares canções).

"Something" foi a primeira canção de George a ser lado A de um compacto dos Beatles, "Something/Come Together". Ela é considerada sua mais bela canção e foi regravada por Elvis Presley e Frank Sinatra. Para Frank Sinatra, esta era "a melhor canção de amor dos últimos 50 anos" entretanto, ironicamente, Sinatra pensava que sua canção favorita tinha sido escrita por Lennon/McCartney. Porém, posteriormente na apresentação "Concert for the Americas", Sinatra antes de fazer sua versão de "Something", a credita como graciosamente escrita por Harrison.
Com o crescimento de suas composições, Harrison começou a ter dificuldades de incluí-las nos álbuns dos Beatles pois Lennon e McCartney tinham vasto material a ser incluído e não sobrava espaço para suas composições. Durante a gravação do álbum duplo The Beatles de 68 por exemplo, George teve três músicas excluídas ("Sour Milk Sea", "Not Guilty" e "Circles") além de quatro músicas incluídas ("While My Guitar Gently Weeps", "Piggies", "Savoy Truffle" e "Long Long Long").

As discussões entre os Beatles tornaram-se mais freqüentes após a morte do empresário Brian Epstein, em 1967. Durante as gravações do álbum The Beatles de 1968, George tentou abandonar a banda. Entre 1968 e 1969, Paul McCartney se mostrava irritado com a forma com a qual George tocava sua guitarra durante as gravações. A tensão entre ambos se torna evidente durante os ensaios preliminares do projeto Get Back, no Twickenham Studios; descontente com a situação toda entre os Beatles, George Harrison abandonou o grupo em 10 de janeiro de 1969 mas retornou a seu trabalho em 22 do mesmo mês, depois de reuniões de negócios com os outros Beatles. O projeto resumiu-se, sendo gravado no Apple Studios e lançado como filme/documentário com o título de Let It Be. Em 1970, o fim dos Beatles é anunciado e cada um segue seu caminho.
Porém, antes do fim dos Beatles, George Harrison já havia lançado dois álbuns solo: Wonderwall Music, de 1968, e Electronic Sound, de 1969. O primeiro com músicas instrumentais foi trilha sonora do filme homônimo e é oficialmente considerado o primeiro álbum solo de um beatle. O álbum contou com a participação de Ringo Starr e Eric Clapton, todos (inclusive George) usando pseudônimos. O segundo, considerado um álbum experimental, trouxe várias músicas tocadas em sintetizador Moog e uma capa com um desenho de sua própria autoria. Praticamente, esses discos passaram em brancas nuvens. George também produziu o álbum dos Hare Krishnas “The Radha Krishna Temple” – com o famoso mantra – o que ajudou significamente a propagação do Movimento Universal pela Consciência de Krishna. Hare!

Depois do fim dos Beatles, em 1970, ofuscado por anos por John Lennon e Paul McCartney, George Harrison lançou grande parte do material que havia acumulado e inicou sua carreira solo. O primeiro álbum de George foi absoluto e consagrado sucesso de crítica e de público. All Things Must Pass, de 1970, é considerado por muitos como o melhor disco de um ex-beatle e um dos melhores discos da história. O álbum era triplo (quando lançado em vinil), o primeiro álbum triplo da história do rock. O discão atingiu o primeiro lugar nas paradas de sucesso britânicas e norte-americana, incluía sucessos como My Sweet Lord, Isn't It a Pity e What is Life. Anos mais tarde a canção My Sweet Lord, presente no álbum, lhe trouxe problemas devido a uma acusação de violação de direitos autorais. A canção era bem parecida com "He's so Fine" (single de 1963), do grupo The Chiffons. George negou a acusação, mas em 1976, foi condenado por ter subconcientemente "plagiado a canção. As discussões sobre os pagmentos aos danos causados levaram o caso a ser continuado até os anos 90. Durante este período, violando os preceitos éticos legais, o então empresário dos Beatles, Allen Klein, comprou a editora Bright Tune, dona dos direitos autorais de "He's so Fine", e trocou de lado, entrando na justiça contra Harrison - obviamente para poder capitalizar nos pagamentos dos danos que Harrison eventualmente teria que fazer a editora. Finalmente, anos depois, Harrison comprou os direitos de ambas canções, He's So Fine e My Sweet Lord. Quando o álbum foi remasterizado em CD, a música ganhou uma versão nova chamada "My Sweet Lord 2000".

Em 1971, pela primeira vez na história do rock, George Harrison organizou um show humanitário. O show aconteceu em 1 de agosto no Madison Square Garden, de Nova York, reuniu cerca de 40.000 pessoas e contou com a participação de Eric Clapton, Ravi Shankar, Bob Dylan, Ringo Starr, Leon Russell, Billy Preston e a banda Badfinger. Os outros ex-Beatles também foram chamados mas só Ringo Starr compareceu. Paul alegou ser muito cedo para reunir a banda novamente e John não compareceu porque o convite não se estendeu a Yoko Ono.The Concert For Bangladesh foi feito com a finalidade de arrecadar fundos para refugiados de Bangladesh. Na época foi arrecadada até uma grana razoável. Mas George sempre se queixou que boa parte dessa grana foi roubada! O produtor do álbum foi o velho Phil Spector. Em 2005 o álbum foi relançado em CD e em DVD e todas as arrecadações foram doadas à Unicef.
George Harrison apareceu no álbum Imagine (1971), de John Lennon e escreveu duas canções para Ringo Starr, "It Don't Come Easy" e "Photograph", incluídas no álbum Ringo, de 1973. Tocou também nas canções "You're Breakin' My Heart" de Harry Nilsson, "Day After Day" de Badfinger (também produziu boa parte do album), "That's The Way God Planned It" de Billy Preston e "Basketball Jones" de Cheech & Chong.

Seu próximo álbum - Living in a Material World (1973) - fez sucesso com a canção "Give me Love (Give me peace on Earth)", segunda a atingir o primeiro lugar nas paradas de sucesso dos Estados Unidos, depois de "My Sweet Lord".

DOWNLOAD:

http://rapidshare.com/files/355384424/GH_Living_2006_obaudoedu.blogspot.com.rar.html

Em 1974, George separou-se da sua primeira mulher, Pattie Boyd, que acabou ficando com seu amigo amigo Eric Clapton - que era apaixonado por ela havia muito tempo e chegou a escrever para ela a famosa canção "Layla". Harrison e Clapton nunca deixaram de ser amigos e inclusive – anos depois - a festa de casamento de Eric e Pattie foi quase uma reunião dos Beatles. George, Paul e Ringo tocaram juntos na mesma jam session! John disse depois que se soubesse que eles iam, teria ido também. Ainda em 74, ele lançou o álbum Dark Horse, que teve muitas críticas negativas. George iniciou sua primeira turnê e seus shows foram muito criticados por conter um longo número dos indianos que avompanhavam Ravi Shankar e também porque George sofria de problemas vocais e sua voz estava simplesmente horrível. George também lançou seu selo, a Dark Horse Records. O selo começou a funcionar somente em 1976.

Extra Texture foi seu último álbum lançado pela Apple Records, em 1975. Foi um álbum para cumprir contrato com a gravadora. A canção "You" foi o sucesso do álbum, embora não tenha atingido o primeiro lugar nas paradas. O álbum chegou na posição 8 nas paradas de sucesso dos Estados Unidos.

Somente em 1976 é que George lançou um álbum pelo seu próprio selo, a Dark Horse Records, 33 1/3. Na época George ficou doente com hepatite, o que fez com que ele mudasse a distribuidora do álbum da A&M Records para a Warner Bros Records pelo fato que a A&M Records queria que ele entregasse um novo álbum até junho e isso se tornou impossível com a doença. Para o álbum ele escreveu "This Song", canção que satirizava o caso de plágio de "My sweet Lord". As canções "This Song" e "Crackerbox Palace" e “True Love” fizeram um certo sucesso e o álbum atingiu o décimo primeiro lugar nas paradas de sucesso dos Estados Unidos. As únicas promoções que George fez para o álbum foi se apresentar junto ao cantor Paul Simon no programa Saturday Night Live em 20 de novembro de 1976. E gravou três vídeo-clipes sensacionais.

DOWNLOAD:
http://rapidshare.com/files/355478406/33___1_3_obaudoedu.blogspot.com.rar.html

Em 1979, George lançou um álbum que tinha seu nome no título, George Harrison. O álbum trouxe um sucesso modesto com a canção "Blow Away" e atingiu o décimo sexto lugar nos Estados Unidos. No mesmo ano, George junto com um sócio, Denis O'Brian, lançou a produtora de filmes chamada Handmade Films. Com a Handmade foram produzidos, entre outros, os filmes A Vida de Brian com o grupo Monty Python e Shangai Surprise com Madonna.

Em 1980, ele escreveu uma autobiografia intitulada I Me Mine, onde falava pouco dos Beatles e mais de seus hobbies preferidos: corridas de Fórmula 1 e jardinagem. O livro inclui também letras de suas músicas e fotos raras. John Lennon, antes de morrer, declarou que ficou magoado com George por não ter sequer mencionado seu nome em toda a biografia.

Após o assassinato de John, em 1980, escreveu a canção "All those years ago" em sua homenagem e chamou Paul McCartney, Linda McCartney e Ringo Starr para participarem da gravação. A canção foi lançada no álbum de 1981, Somewhere in England e se tornou um sucesso, atingindo o segundo lugar nos Estados Unidos. Mas o álbum marcou um dos piores momentos da sua carreira. A Warner Bros. Records rejeitou quatro músicas ("Tears of the World", "Sat Singing", "Lay His Head" e "Flying Hour").
Em 1982, George lançou o álbum Gone Troppo, considerado um de seus piores trabalhos, mas conseguiu fazer um pouco de sucesso com a canção "Wake up My Love". Depois deste álbum, George ficou 5 anos sem gravar.

Em 1987, George lançou o álbum Cloud 9, que foi produzido por Jeff Lynne (Electric Light Orchestra). Depois de 5 anos, foi uma volta fantástica com reconhecimento de público e crítica. George convidou mais uma vez alguns amigos para participar do álbum: Eric Clapton, Ringo Starr e Elton John, além do próprio Jeff Lynne. A canção "I got my mind set on you", escrita por Rudy Clark na década de 60, atingiu o primeiro lugar nos Estados Unidos e Inglaterra.

A canção "When We Was Fab" total referência aos Beatles conseguiu sucesso mais modesto, mas também foi matador! No video clip desta canção George aparerece junto com Ringo Starr e alguém fantasiado de Paul Mccartney, como o “walrus”. O álbum alcançou o posto de número 8 nas listas de sucessos dos Estados Unidos e o número 10 nas britânicas, dando a Harrison seu melhor momento desde Living in the Material World.
Um anos depois de Cloud 9, ele formou os fantásticos Traveling Wilburys, que eram, além de George, Jeff Lynne, Bob Dylan, Roy Orbison e Tom Petty. Cada um participou da banda com um pseudônimo. Eles lançaram o disco Traveling Wilburys Vol.1 ainda em 1988.

No ano seguinte, foi lançada a coletânea Best of Dark Horse Years que trouxe ainda algumas canções inéditas: "Poor Litte Girl", "Cheer Down" e "Cockamamie Business".

No primeiro ano da nova década viria à luz o segundo álbum do Traveling Wilburys, Traveling Wilburys Vol. 3, apesar da morte de Roy Orbison em 1988. Como substituto, o grupo havia pensado em Del Shannon, mas em fevereiro de 1990, ele se suicidou.

Em 1991, George iniciou uma turnê pelo Japão, acompanhado por Eric Clapton. O álbum com a turnê, Live in Japan, foi lançado em 1992. Foi seu segundo álbum ao vivo lançado e a primeira turnê feita em sua carreira solo desde a de 1974. Nesta turnê, diferentemente da de 74, foi incluída no repertório algumas composições clássicas da época dos Beatles além das da carreira solo.
Entre 1994 e 1996, empreendeu junto a Paul McCartney e Ringo Starr o projeto Anthology, incluindo a gravação de duas novas canções dos Beatles a partir de demos caseiros dos meados dos anos 70, onde John Lennon tocava piano e cantava. O projeto incluía entrevistas com os membros sobreviventes dos Beatles contando a história da banda. Em 1996, gravou e produziu junto a Carl Perkins a canção "Distance Makes No Difference With Love" para álbum dele, Go-Cat-Go.
A última aparição de Harrison na televisão teve lugar em 1997 para a promoção de Chants of India, em mais uma colaboração para o amigo e músico hindu Ravi Shankar. No programa, Harrison interpretou, depois de que uma pessoa do público lhe pediu uma "canção dos Beatles" e ele respondeu "creio que não conheço nenhuma", a canção "All Things Must Pass" e "Any Road", esta última só seria lançada em 2002 no seu álbum póstumo Brainwashed.

DOWNLOAD:
http://rapidshare.com/files/355373374/Brainwashed_George_Harrison_obaudoedu.blogspot.com.rar.html
George desapareceu da mídia e começou sua batalha contra o câncer de pulmão. Em 30 de dezembro de 1999, sobreviveu a um ataque de um intruso em sua própria casa. Ele e sua mulher, Olivia, enfrentaram um intruso que foi posteriormente levado pela polícia. Michael Abram, de 35 anos, declarou que estava possuído pelo espírito de Harrison e que era uma missão concedida por Deus matar-lhe. O louco foi preso e internado em um sanatório – hoje já deve estar soltinho da silva. Após o incidente, George Harrison - traumatizado - encerrou de vez suas apariçoes públicas. Em 2001, Apareceu como convidado especial no álbum “Zoom” da Electric Light Orchestra, tocando guitarra slide. George Harrison, nosso querido amigo iluminado faleceu em 29 de novembro de 2001. Hare Krishna!

Creditos: Bau do Edu! Obrigado pelo conteúdo!

2 comentários:

Viviane disse...

Nossa, eu não estou acreditando que você postou isso tudo do George, meu Beatle favorito!!
Andy, MUITO MUITO obrigada!

Anderson Pires disse...

Denada Viviane! :]